A marca

A Club Noir surgiu em 2008, para a mulher que gosta de ser notada e discreta ao mesmo tempo. O lema da marca é moda como forma de diálogo. Moda aqui é modo de ser. A mulher Club Noir faz parte do mundo da tradução da elegância, ama o preto em todas as suas nuances, mas usa a cartela de cores em acessórios marcantes, conforme a sua personalidade. Apesar de reconhecida por sua especialidade na criação de roupas nas variações do negro, investe em estampas exclusivas que contrastam os looks minimalistas e monocromáticos, com cores vibrantes, através de acessórios, nas mais inusitadas matérias primas, como acrílico, resina, neoprene, fibras entre outras.

“A Club Noir é pós-moderna. Sofisticação e despojamento são sua dialética. A contraposição de ideias que leva a novas ideias. Como diria Marx, “Tudo o que é sólido se desmancha no ar”. Flávia Azevedo é assim: mutante, não consegue ficar parada no mesmo lugar, viciada em originalidade. Hiperativa ?!  E quem não é ? Bem-vindos ao pós-modernismo. Uma nova relação entre tempo e espaço que faz com que o desejo pelo absolutamente novo seja constante. Como ela traduz este impulso para a Club Noir ? Preto é a identidade e os acessórios, a alteridade, possibilitando que o mesmo look esteja em constante mudança a partir da ação criativa de quem pertence a sua posse.”

Por Ana Paula de Miranda (Doutora em Administração na USP, com tese em construção de marcas de moda. Pesquisadora convidada do Departamento de Negócios da Moda da Universidade de Manchester (Reino Unido). Co-autora do livro “Moda é Comunicação: experiências, memórias, vínculos” e autora de “Consumo de Moda: a relação pessoa-objeto”).

A designer

Flávia Azevedo é designer de Moda, pós-graduada em Moda, diretora de estilo da Club Noir e carrega em seu currículo mais de 10 anos de experiência na criação de acessórios.

“Para mim, a moda transita em algo que vai muito além do que vestimos ou usamos. Moda é, sobretudo, comportamento e estilo de vida. Meu processo criativo é meramente intuitivo, não me amarro em tendências e uso o preto em todo o meu dia-a-dia, nas roupas, em objetos para casa. Enfim, todas as vezes que pretendo optar por uma cor, o preto faz parte da minha escolha. Em contraposição, abuso da cartela de cores em acessórios marcantes para criar uma atmosfera de contrastes.”